top of page

Como poupar água em casa

Atualizado: 5 de abr. de 2023

Depois do Dia Mundial da Água, nada melhor que rever os nossos comportamentos quanto a este recurso que não é, de todo, infinito.

Sabemos que, atualmente, a Terra é coberta por cerca de 70% de água, 96% dessa água é retida em oceanos e somente 2,5% é considerada água doce. Ou seja, o ser humano apenas tem à sua disposição seja para uso doméstico, agricultura ou indústria, menos de 1% da totalidade da água do Planeta. A ONU, prevê que até 2050 o acesso ilimitado à água se torne uma miragem, tendo a maioria das cidades, incluindo as grandes cidades, um acesso regrado e bastante limitado. Tudo isto, é consequência do uso irresponsável da água em diversos setores.


Um dos conceitos que devemos ter em conta quando falamos de água é a nossa pegada hídrica que, tal como a pegada ecológica, mede a quantidade de água utilizada nos bens e serviços que são consumidos por nós e em cada cadeia de produção. Hoje em dia, um dos recursos que mais água consome é a produção de carne de vaca, ovelha e porco, consumindo valores superiores a 15 000 litros de água por cada quilo produzido. Assim, torna-se muito importante a nossa intervenção quer enquanto cidadãos consumidores de diversos produtos derivados destas indústrias, quer como utilizadores deste recurso importante.




O que podemos fazer para atrasar esta crise hídrica?

(sim, dificilmente a iremos conseguir parar, mas podemos fazer com que demore mais a chegar)


Bom, embora sejamos apenas uma gota de água no oceano, não deixamos de ser efetivamente uma gota de água no oceano e, por isso mesmo, as nossas ações - por mais pequenas que pareçam - acabam por ter algum significado.


Podemos começar por:


Reduzir o consumo de carne em nossa casa

Se em nossa casa há 4 pessoas, e se cada uma comer um bife de carne de vaca por semana (sabemos que acaba sempre por ser mais), ao final de um mês são 20 400 litros de água só em uma casa, imaginem o quanto um prédio pode poupar se reduzir o seu consumo de carne.


Reutilizar águas domésticas

Apesar de não parecer, este é de facto uma ferramenta que as indústrias tentam aproveitar ao máximo, no entanto é necessário perceber que existem riscos ambientais e fitossanitários, nomeadamente contaminações microbiológicas ou a permanência de bactérias, metais pesados ou produtos farmacêuticos na água. No entanto, em nossa, o controlo da reutilização da água e os seus riscos são muito menos drásticos e em ambientes mais limitados.


Mas agora vamos considerar micro atitudes que, de vez em quando, talvez nos passem ao lado:

  • O que fazemos com a água fria que sai do chuveiro enquanto esperamos que ela aqueça? Será que não podia ser usada para lavar o chão, ou despejar na sanita?

  • Precisamos de facto de encher a pia enquanto lavamos a loiça ou uma pequena quantidade de água irá fazer o mesmo efeito?

  • Ou ter a água constantemente a correr quando passamos os pratos por água é de facto útil?

  • E quando regamos o jardim ou até os pequenos vasos lá de casa, será que não o podíamos fazer de modo mais sustentável com a água dos banhos, ou de alguns cozinhados?

Enfim, o que é certo é que todos os dias dou por mim a fazer coisas que não fazem muito sentido apenas e somente por hábito.

E que tal hoje tirarmos um tempinho para analisar alguns dos nossos comportamentos mais intrínsecos e perceber o que ainda podemos melhorar.


Um abraço da vossa Esperança

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page